Grandes Mentes


Print Friendly, PDF & Email

A Coragem manifestada de Akhenaton é vista como a virtude mais marcante do maior faraó que a História do Egito já teve, colocando seus ideais acima das circunstâncias materiais e políticas. Akhenaton possuía uma visão grandiosa sobre o Universo, muito além de seu tempo, e isso notamos em sua conduta, baseada em uma Verdade absoluta que ele buscou propagar para a população egípcia.

Ainda jovem, seu nome foi Amenófis IV, filho do faraó Amenófis III e da rainha Tii. Conta a história que seus pais tiveram importante participação em sua formação ideológica, sendo eles exemplo ao ensinar ao filho que acima do poder político, é preciso seguir o Sentir para governar a população, procurando ser justo baseado-se em uma justiça divina, e não em interesses de algumas poucas pessoas. Além dos pais, o jovem Amenófis cercou-se de sábios sacerdotes. Um deles foi Amenhotep, considerado seu preceptor antes de se tornar faraó e um dos maiores sábios do Egito antigo.

Amenófis IV foi coroado faraó aos 15 anos de idade, assumindo o poder e co-regência ao lado do pai, numa época em que Egito vivia uma situação interna tranquila e de grande prosperidade. Seu reinado durou 13 anos (1.370 à 1.357 a.C.). Para ele, era fundamental que todo homem trabalhasse para acionar suas ideias e conhecimentos, sem que de nada valesse o conhecimento para o homem omisso. E para colocar em prática os seus ideais, com sabedoria e coragem, manda construir uma nova cidade chamada Tell el Amarna (“A Cidade do Sol”) que não era apenas uma cidade, mas uma nova forma de civilização, na qual as manifestações e condutas eram no sentido de aproximar o homem da sua fonte divina para que chegasse a Unificação. Nesta cidade, um templo para Aton, Deus do Sol foi levantado, e com isso, Amenófis IV torna-se Akhenaton, o filho do Sol. Para ele, Aton é um princípio divino invisível, intangível e onipresente, porque nada pode existir sem Ele. Deus é o núcleo da força criadora que se manifesta em todas as formas.

Em Amarna, os templos passam a ser de todos, pois todos os homens são iguais perante Aton. A sabedoria governa, não pela lei dos homens, mas por Leis Divinas que tornam a Verdade perceptível a todos. O novo faraó tratou de ensinar a evolução espiritual que se dava interiormente. Assim, durante o seu reinado, Akhenaton transformou súditos em discípulos, homens antes divididos por múltiplos deuses em homens de um Deus único e universal que iluminava a Vida de todos.

As profundas mudanças durante o seu reinado não se limitaram a implementação do monoteísmo no Egito. As artes amarnianas, como são chamadas as obras da época, registram a visão que o faraó tinha do homem e do universo. Pela primeira vez, também, surgem obras mostrando a vida familiar, inclusive seu relacionamento com a esposa Nefertiti, o que vem ao encontro da concepção de Akhenaton de que o núcleo familiar é muito importante para a construção de um meio melhor. Na poesia, os escritos religiosos em homenagem ao Deus Aton, marcam o seu reinado. É através dela que o faraó mostra a unicidade de Deus. Após a morte de Akhenaton, aos 33 anos, a cidade de Amarna e seu legado foram pouco a pouco sendo destruídos.

A história de Akhenaton mostra, mais uma vez, que um homem melhor faz um meio melhor, e que a força de sua convicção em seu objetivo muda o meio. Para isso é preciso ser a Coragem!

Hino ao Sol* 

“Tu és belo, grande, resplandecente, Sublime sobre todas as terras do país; Os teus raios abraçam e iluminam as terras Até o limite de tudo o que criastes. Sendo Rá alcanças os seus limites e os subjugas para teu filho amado. Tu estás longe, mas os teus raios encontram-se sobre a terra, Apesar de vê-lo seu caminho é oculto Tu estás diante de nós, mas as pessoas não vêem o teu caminho.”

Pequeno Hino a Aton*

“És o Aton Vivo e a tua emanação é eterna. Tu criaste os céus longínquos para brilhar nele e vigiar toda a tua criação. És o Uno mas existem milhões de partículas de vida em ti. Para fazê-las viver, insuflas sopro de vida em suas narinas. Ao ver seus raios, os botões se abrem em flores e as plantas que surgem do solo se fortalecem ao teu nascer. Ao ver os seus raios, todos os animais se erguem em suas patas, as aves saem de seus ninhos agitando as suas asas alegremente e voam em louvor ao Aton Vivo, seu criador.” (trechos de poesias escrita por Akhenaton)